Sexta-feira, 29 de Fevereiro de 2008

Resposta ao Desafio

       Temos como principais objectivos para este projecto a requalificação da zona histórica/ribeirinha – proibindo a entrada de veículos motorizados; a melhoria da qualidade de mobilidade dentro dos centros históricos – promovendo as caminhadas e as bicicletas, alargando passeios e adaptando estradas; fazer uma ligação entre o centro histórico e a marginal – que terá duas vertentes: uma, mais longa, pela beira-rio, e outra pelo centro da cidade; a criação de um parque de estacionamento subterrâneo: para compensar a falta de lugares provocada pelas proibições nos centros histórico; a adaptação dos sentidos de marcha de acordo com a mobilidade e acessos cicláveis e, por último, a criação de um acesso de qualidade à escola José Régio.

         As ruas nas quais nos vamos debruçar são as seguintes: Acesso entre a Rua de Santa Catarina e a Avenida Júlio-Saúl Dias, Rua Nossa Senhora de Fátima, Rua da Igreja, Rua da Costa, Rua 5 de Outubro , Praça da República, Rua do Lidador, Calçada do Lidador, Rua da Fraga, Rua de São Bento, Rua dos Prazeres, Largo do Ribeirinho, Rua do Socorro, Largo da Alfândega, Largo do Laranjal, Rua dos Cais das Lavadeiras, Rua Cais dos Assentos, Av. Marquês Sá da Bandeira, Avenida do Ferrol, Avenida Sacadura Cabral, Avenida Júlio Graça e Rua da Senra, que pertencem à zona histórica e ribeirinha da cidade.

         A partir do estudo efectuado no 1º Período nas áreas da Cultura, Economia, Tecnologia e Urbanismo, concluímos que a principal falha na cidade é a falta de ciclovias e o constante uso do carro que vão degradando, assim, uma das “mais valias” de Vila do Conde, que é o centro histórico.

          Como exemplos nacionais seleccionamos a cidade de Aveiro, que tem uma boa rede de bicicletas e, mais recentemente a Universidade de Braga, que ofereceu a cada estudante uma bicicleta pelo valor simbólico de 25 euros para promover o hábito do seu uso como meio de transporte. Como principais exemplos internacionais apontamos a Holanda, cujas vias e hábitos ciclóvicos são modelares e, também a Itália, pelas medidas tomadas na protecção das principais zonas históricas, como por exemplo, proibindo o uso de carros em alguns dias da semana. Também as cidades de Paris e Londres estão bem servidas nesta área.

          Para que a comunidade vilacondense tomasse conhecimento do nosso projecto no concurso, distribuímos panfletos, fizemos um cartaz, demos uma entrevista na rádio Foz do Ave e, por três vezes, fomos alvo de notícia em jornais locais. (10-01-08 e 7-02-08, no Jornal de Vila do Conde e no número 60, de Janeiro n’O Tecto).

Exemplo de um estudo feito para a Rua do Ferrol

Vila do Conde Criativa

Escola Secundária/3 José Régio de Vila do Conde

12º AV1

Ana Dias

Inês Marinho

Célia Lamarão

Madalena Aguiã

Sandrina Rodrigues


publicado por viladocondecriativa às 23:58
link do post | comentar | favorito

.Vila do Conde Criativa


. ver perfil

. adicionar

. 6 seguidores

.pesquisar

 

.links

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.subscrever feeds